Os opostos em nossas Vidas...




Os opostos coexistem em um mundo dual, cheio de contradições, desigualdades, divergências e conflitos.

Vivemos em meio a esse turbilhão provocado pelos extremos da dualidade.
Mas, dentro de tudo isso vamos passando pelas experiências, mudanças e pelos aprendizados.

Com essas vivências, ao passar por esses momentos, podemos perceber que os opostos têm uma finalidade em nossas vidas.

Recordemos todos os momentos que já vivemos. As dores que vivemos nos trouxeram despertares, fim de ilusões, lucidez e crescimento de nós, como seres humanos e espirituais.
Nas oscilações dos opostos, podemos buscar em cada situação, usá-los para encontrarmos o nosso equilíbrio, recordando de contrapormos os extremos para lidarmos com os acontecimentos.
Quando tivermos motivos para nos alegrar e de viver os prazeres da vida, recordemos que passarão e transformar-se-ão em lembranças, marcos de nossa existência, mas servirão de conforto nos dias que trarão perdas e partidas.
As separações irão acontecer, mas, em contrapartida, novos encontros acontecerão.

Se as dúvidas surgirem em nossa mente e atormentarem nossos corações, deixemos a força que nos trouxe à vida nos guiar!

As emoções irão movimentar-se entre os opostos e nos revelarão muito de nós ao observá-las, sem julgamento e com aceitação, ajudando-nos a nos adaptar à cada situação.

Fazendo uma analogia dos nossos processos internos com a natureza, podemos perceber que todos os seres, para se adaptarem e seguirem em frente com suas existências, precisam lidar com as mudanças e transformações que ocorrem, naturalmente, em nossa existência.
Vivemos oscilando entre os extremos:
Calor e frio ;
Ventania e brisa ;
Tempestade e bonança ;
Dia e noite;
Nascimento e morte .
Enfim, tudo o que acontece na Natureza nos mostra que somos seres em constante mutação e Ela nos fornece todas as condições necessárias para isso.
A Natureza nos mostra que a vida não pode ser controlada, apenas vivida!

A vida nos sinaliza a vivê-la equilibrando-nos entre os opostos do mundo dual, para extrairmos sabedoria e nos expandir em amor. Vivamos!

Deise Aur
_____________


Direitos autorais da imagem de capa: michelangeloop / 123RF Imagen

Comentários

Postagens mais visitadas deste blog

Sejamos como as crianças e os animais ! // Texto de Flavio Siqueira // Não seja agnóstico, nem ateu, nem cristão, nem budista, nem teísta, nem humanista, nem capitalista, nem comunista, nem nada que lhe roube a liberdade para crer, descrer, construir e, se for o caso, desconstruir. Ande com as próprias pernas ou quem sabe voe com suas próprias asas. Que a paz seja seu árbitro na caminhada e a consciência a estrada que lhe projeta sobre o caminho do entendimento e da liberdade. Sejamos como as crianças, os animais, os simples de coração. Eles não tem “ismos” nenhum, não defendem nenhuma tese, nem doutrinas, não se incluem em teoria alguma, no entanto seguem puros em sua ignorância iluminada, na paz de quem sabe, mesmo sem saber que sabe. Felizes, pacificados, alheios às nossas tolas filosofias e discussões, atentos em simplicidade ao que realmente importa. Sejamos livres ! - flaviosiqueira.com

INFINITA PRESENÇA